quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Ranking de Características Femininas - A Análise

Uma famosa revista feminina publicou um artigo sobre as 10 primeiras coisas que os homens reparam nas mulheres. Ora aqui fica a (suposta) ordem:

1 - Peito
2 - Pernas
3 - Roupa feminina
4 - Cabelo
5 - Altura
6 - Boca
7 - Cintura fina
8 - Rabo
9 - Olhos
10 - Voz 


Até aqui tudo bem, posso concordar. Mas o que me surpreendeu realmente foram as seguintes divagações:
 

"As baixinhas podem ser engraçadinhas mas têm logo menos poder de sedução, para já porque dão menos nas vistas, têm menos território por onde espalhar as suas qualidades, e além disso os homens são preguiçosos e não lhes apetece mexer o pescoço para olhar muito para baixo."

É óptimo saber que eu, como o meu 1,58 de altura, dou trabalho aos homens porque têm de olhar para baixo!! Mas esta gente esteve a fumar coisas? Realmente a minha vida tem sido assombrada pela "falta de território"...WTF?


"Adoram uma mulher vestida de vermelho-fogo, com saia justa, maquilhagem à matadora, e saltos altos. E cabelo comprido, evidentemente. E loiro, evidentemente."

Grande conselho de moda...para quem vende sexo e em saldos. Meninas, se querem que um homem se apaixone por vocês procurem a p*** que há dentro de vós. Ou o travesti.


E o top, desta vez sobre a cintura fina:

"Mas se for tudo fino tipo tábua de lavar, vai passar por eles como um holograma, nem vão reparar que entrou alguém na sala. Mesmo que simpatize consigo, vai tratá-la sempre como o seu irmão mais novo, dizer que é uma tipa porreira, dar-lhe palmadões nas costas, convidá-la para jogar hóquei com ele ao sábado de manhã, enganar-se no seu nome até ao fim da temporada, e gritar "remata, Zé Manel, remata!" sem quaisquer segundas intenções."


Tenho de admitir que é verdade. Não ouvem imensos homens a comentar "Bem, aquela miúda de cintura fina parece mesmo um gajo!" ? Pois, eu também.
 


À queridíssima que escreveu este infame artigo apenas tenho um comentário a fazer...Meu bem, corta a cabecinha pelo pescoço. Vais ver como será um alívio para ti e para todos nós.

 






quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Porque sim!

Há uma coisa que me irrita loucamente já há algum tempo. Parece que todos os comprometidos têm pena de uma mulher solteira. Chego a um jantar sem acompanhante e tenho 8 cabeças que me olham com aquela cara de “oh coitadinha”. E depois ouvem-se os seguintes comentários:

“Não tens namorado? Pois, deves ter problemas em confiar nos homens!”

“Até és gira…o que te aconteceu para estares sozinha?”
 
“Tens um trauma, não tens?”
 
“Estás solteira porque tens medo do amor, da entrega”
 
 “Não desesperes, um dia aparece o teu príncipe encantado”
 
“Devias ponderar seriamente em construir uma vida a dois. Começas a ter aquela idade em que só as desesperadas é que estão solteiras”
 
“É muito triste ser solteira, não é? Deves sentir-te muito sozinha  e deprimida”
 
“Tenho de te apresentar um amigo meu que também anda desesperado. Vocês são perfeitos um para o outro”


Pois hoje vou responder de uma vez por todas a estes comentários. Não tenho problemas, não há trauma nenhum, e não, não estou desesperada. Sou solteira, só isso. Portanto, meus caros, parem já com os olhares de pena, com os comentários supostamente empáticos e por favor, com os segredinhos  de “Go for it” quando entra um homem giro na sala.

Ser solteira não é uma doença aliás, eu diria que é um estado de graça.






p.s – Será importante mencionar de que muitos destes comentários feitos por comprometidos são resultado de uma elevada concentração de inveja.


p.s.s – já agora, príncipes encantados não é de todo a minha cena, sim?

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Provavelmente, o melhor engate de sempre II

Estava eu num famoso espaço nocturno da capital quando um indivíduo estrangeiro (de aspecto no mínimo duvidoso) se aproxima e me pergunta:

Ele - You are French, right? (És francesa, certo?)

Eu - No, I´m Portuguese. (Não, sou portuguesa)

Ele - Oh really? I never thought of that because you don´t have a mustache! (Nunca pensei que fosses porque não tens bigode)


Amiguinho, isso era inveja, não era? É que reparei que a ti ainda não te nasceu o tal bigode. Aos 30, quando atingires a tua puberdade, é que podes começar a tentar engatar miúdas em discotecas, sim?



terça-feira, 16 de agosto de 2011

The place where your dreams come true

E chegou o grande dia da visita à Disney. Pois eu, armada em criança de 5 anos, estava tão feliz que até chateava. Primeira missão no parque? Comprar umas orelhas de Minie com lantejoulas rosa que não tirei da cabeça todo o dia!

Seguiram-se as tradicionais visitas às diversões da Alice no País das Maravilhas e à cidade do Mickey, uma viagem pelo mundo nos barquinhos do Little World, etc. Para acabar a manhã decidimos aventurar-nos pelo universo dos Piratas das Caraíbas.

A fila começa no exterior de uma casa de madeira mas assim que conseguimos entrar, o dia passa a noite, numa recriação perfeita da ambiência nocturna do filme que inspirou aquele espaço. E lá fomos nós no barquinho, olhando boquiabertos com os piratas robóticos que se moviam nas margens…e que pareciam mesmo pessoas. No final da fantástica e realista viagem ficámos ali para almoçar. Foi lindo! 




A tarde foi passada entre diversões e muitos sorrisos, com um intervalo estratégico para comer uma maçã caramelizada com amendoim…yumi! 



(Coma de açúcar anyone?)


Entretanto, chegou um momento que esperávamos ansiosamente – a Disney Parade. A música faz-se ouvir por todo o parque e muitos carros alegóricos adornados, actores vestidos das várias personagens da Disney e dezenas e dezenas de bailarinos desfilam, cantam e dançam pelas ruas. Um máximo!




(Disney Parade)


Após a parada seguimos para o segundo parque da Disney que está a ser construído mesmo ao lado do parque original e que é, pelo menos, do tamanho do primeiro…um assombro!

Tivemos de correr mas ainda conseguimos entrar no teatro para ver o Musical do Aladino. Confesso que não esperava tanto. O espectáculo está ao nível da Broadway, sem dúvida. Desde elefantes de tecido em tamanho real a passear pela sala e, o mais importante, lembram-se da balada “A whole new world”?? Pois é, os actores que representavam o Aladino e a Yasmin voaram mesmo por cima de nós num tapete voador




(by Google, já que o espectáculo não pode ser fotografado)


 A seguir ao espectáculo corremos novamente para o 1º parque e ficámos deslumbrados com o fogo-de-artifício no castelo da Bela Adormecida. Eu, coração de pedra, me confesso…chorei do princípio ao fim! A banda-sonora, as imagens das fadas madrinhas, da Sininho e do Dumbo projectadas no céu…aquilo bate fundo, acreditem! E foi óptimo ter chorado porque as famílias com crianças que estavam à minha volta achavam que era louca e afastaram-se. A vista era desafogada e perfeita!




(Noite na Disney)


E mais uma correria no final do fogo-de-artifício, desta vez em direcção ao parque novo. Ali assisti ao espectáculo mais impressionante da minha vida. Já tinha visto o Cirque du Soleil em Paris e ficado de queixo caído, já passei pela Broadway para dois musicais que achei majestosos mas o Living Color da Disney é de uma imponência sem igual. O espectáculo joga com música, imagens,cores, fogo e água. São projectadas partes de filmes da Disney em repuxos de água, ao mesmo tempo que estes vão mudando de cor e intensidade ao ritmo da música. Deixo-vos um vídeo mal filmado, mas acho que dá para ter uma ideia. Acreditem que o que vêem aqui não é nem um quinto do que se vê e se sente no local.




  video


E assim saímos do parque com a certeza de que ali fomos muito felizes.